Fale conosco pelo WhatsApp

A importância do espermograma para fertilidade masculina

Análise de material coletado no espermograma

O espermograma é um exame comumente realizado pelo homem como forma de avaliar as características do sêmen e espermatozoides. Ele não é capaz de definir o homem como fértil ou infértil, pois não possui complexidade para nos informar sobre a qualidade e função dos espermatozoides.

São necessários outros exames além do espermograma, mais elaborados, para identificar possíveis fatores de infertilidade. Saiba mais a seguir sobre a importância do exame na saúde reprodutiva do homem. O que é o espermograma?

O espermograma é um exame que tem como intuito fornecer ao médico algumas características do sêmen e espermatozoides:

  • Concentração de espermatozoides;
  • Motilidade (movimento);
  • Morfologia (forma);
  • Atividade das glândulas acessórias (próstata e vesículas seminais, principalmente).

A coleta ocorre por automasturbação e em casos específicos por relação sexual com uso de preservativo específico. Pede-se abstinência ejaculatória de dois a sete dias. Devem ser realizadas duas coletas, com 15 dias de diferença entre elas, pois podem ocorrer interferências que induzem a um resultado incorreto.

Quando o exame é solicitado?

Em resumo, esse exame de sêmen deve ser realizado por homens que pretendem engravidar suas parceiras ou que estão tentando por um tempo igual ou superior a 12 meses, porém, sem sucesso.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) aponta que aproximadamente 15% da população mundial sofre com infertilidade. Na América Latina, 52% dos casos de infertilidade são causados por fatores masculinos.

A equipe do Androscience enfatiza que, apesar de ser um exame básico e não suficiente para determinar a causa da infertilidade, o espermograma deve ser realizado em um laboratório especializado em Andrologia.

Qual a sua importância?

O espermograma, quando realizado em local com expertise em diagnósticos voltados para a saúde masculina, auxilia na identificação de possíveis doenças que afetam o sistema reprodutor do indivíduo, como, por exemplo, a agenesia bilateral dos ductos deferentes, azoospermia, varicocele, entre outros. Além disso, doenças hormonais, crônicas e sistêmicas alteram também alteram o padrão do espermograma. Frequentemente associamos os espermatozoides como os marcadores biológicos da saúde masculina e alterações no espermograma sugere a necessidade de avaliação mais completa da saúde do paciente.

Onde fazer o espermograma?

O espermograma é realizado em diversos laboratórios de análises clínicas. Entretanto, parte desses laboratórios não são especializados e não possuem experiência com manipulação de amostras seminais. É comum que o espermograma seja automatizado e realizado por um computador. Por mais que isso pareça bom, a máquina não consegue diferenciar outras células, que não espermatozoides, e acaba por fazer uma análise incorreta.  O computador pode pontuar como espermatozoide bolhas, leucócitos, células imaturas e células epiteliais.

É importante que um profissional devidamente treinado faça a análise manual com um microscópio de fase. Essa é a forma como o Laboratório Androscience realiza o espermograma.

O espermograma e os testes de função espermática ajudam a identificar problemas na fábrica de espermatozoides e guiam o médico para um tratamento certeiro.

Fonte:

Organização Mundial da Saúde (OMS);

Grupo de Estudos de Saúde Masculina, da Universidade de São Paulo (USP);

Laboratório do Homem Androscience.