Fale conosco pelo WhatsApp

Creatina quinase

Principais Dúvidas

A CK pode ser considerada uma enzima-chave na produção e utilização de energia nas células e é utilizada como marcadora da maturidade dos espermatozoides.

Como a CK é produzida pela atividade do citoplasma, quando está elevada ela indica uma provável retenção anormal do citoplasma durante a espermiogênese, o que sugere que os espermatozoides produzidos sejam imaturos e funcionalmente defeituosos. Assim, os níveis de CK podem predizer se os espermatozoides de determinado paciente têm capacidade fertilizante, de tal forma que, quanto maiores os níveis de CK presentes na amostra seminal, menor a qualidade dos espermatozoides, maior sua imaturidade e, consequentemente, menor sua capacidade fertilizante.

Há também uma correlação negativa entre níveis de CK e outros parâmetros seminais como 1) concentração espermática, 2) número total de espermatozoides e 3) porcentagem de espermatozoides móveis. Correlação negativa significa que quanto maiores os níveis de CK, piores são os parâmetros mencionados.

Os níveis da CK podem ser até 17 vezes maiores em homens com oligozoospermia grave (inferior a 5 x 106/mL) do que nos homens com oligozoospermia moderada e leve.

Há uma relação inversa entre a CK e a capacidade fertilizante dos espermatozoides de homens férteis e inférteis. Quanto maiores os níveis de CK presentes na amostra seminal, menor a qualidade de espermatozoides, maior sua imaturidade e, consequentemente, menor sua capacidade fertilizante.

  • A CK é considerada um indicador mais sensível da qualidade seminal e maturidade dos espermatozoides do que a análise seminal convencional;
  • O teste pode ser utilizado na indicação adequada de cirurgia da correção de varicocele;
  • O teste é utilizado no acompanhamento do tratamento de pacientes com infertilidade masculina;
  • Boa relação custo-benefício em relação aos procedimentos de fertilização in vitro.

Referências bibliográficas:
WHO – Laboratory manual for the Examination of Human Semen and Sperm – Cervical Mucus Interaction, Cambridge University Press, 4ª Edição, 1999.

Huszar, G. et al. Sperm creatine kinase activity in fertile and infertile oligospermic men. J. Androl., v. 11, p. 40-46, 1990.

Hallak, J. Creatina quinase como um novo marcador de função espermática em sêmen fresco e criopreservado e a sua relação com infertilidade masculina, Tese(doutorado)—Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. São Paulo, 1999.